2021-03-28

O Dia da Liberdade como o início de uma primavera de protesto

28 março 2021 | Voice of Belarus Media 
Source: Voice of Belarus

Por favor, ative as legendas em seu idioma nas configurações de vídeo.

Em 25 de março, o povo belarusso comemora o Dia da Liberdade. Em 1918, neste dia, foi proclamada a independência da República Popular de Belarus. A língua oficial da República Popular de Belarus era a belarussa, o brasão de armas era a Pahônia e a bandeira, branca vermelha e branca.

Em 2021, o Dia da Liberdade tem um significado especial. A oposição esperava que ele iniciasse protestos contra Lukashenka com força renovada no país. Os canais de oposição do Telegram convocaram a população no dia 25 de março para ir ao centro das cidades onde moram, para fazer ações em seus bairros, além de lançar fogos de artifício. Os motoristas foram convidados a sinalizar de forma coordenada em determinado horário.

As autoridades oficiais não reconhecem esta data e os acontecimentos a ela dedicados, via de regra, são seguidos de prisões em massa. Um pedido foi submetido ao Comitê Executivo da Cidade de Minsk para realizar uma manifestação, mas, como esperado, as autoridades proibiram o Dia da Liberdade, supostamente devido ao coronavírus e “convocações extremistas” nos canais do Telegram.

Nos últimos dias antes da manifestação, a polícia em todo o país conduziu buscas e detenções preventivas de ativistas. Temendo qualquer atividade dos cidadãos, as autoridades concentraram uma quantidade sem precedentes de equipamento militar em Minsk. Assim que as pessoas começaram a sair às ruas à tarde, começaram as intensas detenções.

Em 27 de março, foi anunciado o primeiro grande protesto em Belarus este ano. No entanto, devido às ações ativas das forças de segurança, os belarussos não conseguiram se reunir para um protesto em massa. Pela manhã, equipamentos militares foram transportados para as ruas: camburões, canhões d’água, carros com arame farpado e barricadas móveis.

Ainda uma hora antes do início da manifestação, as forças de segurança começaram a prender transeuntes e ciclistas. Entre os detidos estão seis jornalistas belarussos e um jornalista alemão da Deutsche Welle. No total, em dois dias de protesto – 25 e 27 de março – cerca de 500 pessoas foram detidas, das quais cerca de 400 em Minsk.

Na véspera de 25 de março, uma verdadeira campanha de perseguição aos ativistas da União dos Poloneses em Belarus começou. As detenções e as buscas em instituições relacionadas à união foram realizadas como parte de um processo criminal por incitação ao ódio étnico.

#belarus2020
#StandWithBelarus
#FreeBelarus

Inscreva-se no canal Voice of Belarus no YouTube